A arte de dar e receber Feedback

Em toda minha vida de gestora e treinadora de pessoas ainda não me foi apresentado um método mais eficiente do que o feedback para desenvolver pessoas.

Por Claudia Lisboa

E é impressionante como as pessoas andam carentes dele dentro das organizações. Já percebeu isso? Se as organizações fomentassem esse hábito do feedback entre os colaboradores com toda certeza teríamos menos problemas dentro das equipes e a gestão teria mais tempo para focar nos resultados.

O princípio de todo desenvolvimento humano está no feedback, pois como o outro saberá se está indo bem ou mal quanto a sua performance ou nas questões de relacionamento interpessoal? Dizer ao outro como você o percebe e como ele está impactando em você, no trabalho que executa, no de time ou na interação com o cliente é fundamental.

 

E aí você que está lendo esse artigo agora, pode estar pensando: “Mas nunca ninguém me dá um feedback!” então eu te respondo: “Já pensou em pedi-lo?” Peça seu feedback, caso não tenha recebido nenhum feedback nos últimos tempos. Peça ao seu gestor, ao seu par, ao fornecedor, para seu cliente e em casa para seus familiares e companheiros, entretanto esteja preparado para receber.

 

Dar ou receber feedback em uma cultura mais emocional como a do brasileiro é extremamente desafiador, principalmente para quem está na posição de gestor. Do lado de quem vai dar o feedback, as maiores barreiras são saber o que vai dizer, como vai dizer e ainda prever qual será a reação emocional do outro ao ouvir uma crítica. Sim, nos brasileiros lidamos melhor com elogios, porque as críticas, essas sim, são a pedra no nosso sapato, tanto no âmbito profissional como pessoal. Do lado de quem irá receber o feedback as maiores barreiras é não se vitimizar, lidar com conflito, reconhecer que errou, rever rota ou pedir desculpas.

Quando estamos falando do feedback de reforço positivo, o famoso elogio, tudo fica mais simples e fácil para ambos os lados, toda via há ainda uma pequena minoria de pessoas que o fato de dar e ou receber um elogio também pode ser um desafio.

Existem pessoas que ficam constrangidas ao serem elogiadas, assim como as pessoas que não reconhecem algo bem feito, pois tem a crença de que “se elogiar estraga”. Eu já ouvi, essa celebre frase centenas de vezes em meus workshops e sessões de coaching, e é impressionante como ainda tem gestores que economizam os elogios achando que o colaborador irá se vangloriar e, na sequência pedir aumento. Mas, sabe o que realmente acontece com alguém que nunca é reconhecido pelo bom trabalho que faz? Essa pessoa vai embora ou vai deixar de fazer o melhor dela para fazer de forma mediana, afinal ninguém o reconhece mesmo!

 

Sem sombra de dúvidas, o feedback é o grande desafio dentro e fora das organizações, é um método extremamente necessário para desenvolver e potencializar pessoas, e pouco sabemos utilizá-lo.

Então, vejamos que passos são necessários para quem vai dar o feedback:

1.

Entenda o perfil da pessoa que você dará o feedback, para que possa prever suas possíveis reações;

2.

Escolha um lugar adequado para fazê-lo e jamais dê um feedback crítico em lugar público;

3.

Crie confiança, declarando sua intenção ao dar o feedback, como por exemplo: Minha intenção é potencializar seu crescimento...

4.

Olhe nos olhos e mantenha-se presente com a pessoa;

5.

Seja específico ao dar o feedback, fale com dados e fatos e mostre o impacto positivo ou negativo do que a pessoa está fazendo;

6.

E não menos importante, ouça o que o outro tem a dizer, porque feedback não é um monólogo e sim um diálogo.

E agora vejamos que passos são necessários para quem vai receber o feedback:

1.

Escute o que outro está dizendo e silencie suas justificativas;

2.

Interaja fazendo perguntas para esclarecer o que não entendeu, como por exemplo: você pode ser mais específico comigo? O que especificamente eu deixei de fazer ou fiz que não foi bom?

3.

Olhe nos olhos e mantenha-se presente!

4.

Se não concordar com algo, diga que precisa refletir sobre o que está sendo dito e que depois dará um retorno. E reflita mesmo!

5.

Comprometa-se com a mudança, caso o feedback seja crítico e agradeça se for um elogio.

6.

Peça ajuda para a mudança, caso isso se faça necessário, pois muitas vezes aceitamos o feedback e queremos modificar, mas nem sabemos por onde começar.

Muitas empresas capacitam os gestores a darem feedback e esquecem de criar uma cultura do feedback, e por fim acabam não ensinando as pessoas a receberem e nem muito menos pedir o feedback. Essa prática não deveria ser exclusiva de quem está em cargo de gestão, pois para se ter a cultura do feedback, todos sem exceção, na organização deveriam praticar o feedback com pares, clientes e fornecedores. Empresas que praticam o feedback, comprovadamente possuem um clima organizacional mais favorável e consequentemente isso se reflete na performance das pessoas, pois os diálogos francos fazem aumentar a confiança entre as pessoas, diminui ruídos e as diretrizes ficam mais claras.

 

Você que está lendo esse artigo agora, o que está esperando para desenvolver essa habilidade? Como você se percebe? Como o outro te percebe? O que tem feito para criar o hábito do feedback em seus relacionamentos pessoais e profissionais? Então te desafio a desenvolver a arte de dar e receber feedback!

Conheça nossos Autores

.
Claudoa Lisboa
Atua há 25 anos em Gestão de Pessoas e nos últimos 10 anos ocupou cargos executivos. Consultora e especialista em desenvolvimento e execução de programas de educação corporativa, assessment, modelo de competências e gestão de pessoas.
Claudoa LisboaFundadora e Diretora de Conteúdo na StepU

Imprimir