fbpx
Blog Step u Acessos: 851

O conflito é uma opção...

Por Jean Pasteur

.

“Nenhum ser humano pode controlar a vida, mas apenas suas respostas a ela e ao faze-lo, controlar suas respostas, viverá com mais dignidade e tranquilidade.” Epícteto escravo do Século I que inspirou imperadores na época e que me inspira para lidar com os desafios do futuro do trabalho.

A reflexão a seguir tem por objetivo ajudar a encontrarmos espaço e repertório para não ser levado pela tensão que nos rodeia em nossa vida pessoal e profissional.

Na loucura do dia-a-dia, afogando-nos em informações vindo de todas as mídias (desejadas e não desejadas... tipo WhatsApp), pensamos ter perdido a capacidade de respirar, pensar, sentir e decidir. O que realmente perdemos é a capacidade nos focar e estar presentes para fazer escolhas conscientes.

No entanto, a sobrevivência profissional no contexto de alta complexidade, e forado de eventuais “Fake News”, implica sermos capazes de separar o que é verdade do que é meramente uma série de acidentes desencadeados por ruídos de comunicação, pela variedade de padrões culturais, por achar que posso decidir pelo outro o que é bom para ele, pela baixa capacidade de investigação dos fatos. Epíteto diz que “para aliviar o sofrimento da nossa alma, devemos iniciar um trabalho de introspecção e uma jornada para ganhar consciência dos nossas crenças e hábitos produtivos e improdutivos, do ponto de vista da liberdade, felicidade e sabedoria”.  

O convite para lidar com a gestão de conflito é fazer uma jornada em direção ao nosso autoconhecimento.
Nesta jornada há 2 premissas,
(a) Felicidade e liberdade derivam do entendimento do seguinte princípio: há coisas que estão no nosso controle e coisas que estão fora dele.
(b) Todo mundo tem a oportunidade de praticar a bondade, independentemente de ser rico ou pobre, religioso ou laico, com ou sem educação formal.
E uma definição
(a) Conquistamos a Liberdade ao saber separar o que podemos controlar e o que não podemos, para agir sobre o primeiro e aceitar o último.
E uma definição
(a) Conquistamos a Liberdade ao saber separar o que podemos controlar e o que não podemos, para agir sobre o primeiro e aceitar o último.

Essas duas premissas e a definição acima, que chegam direto do século I, são estruturantes para os 10 pontos de reflexão a seguir. Pinçadas nos conceitos apresentados por Epícteto elas ajudam a lidarmos com nossa impulsividade e, assim, nos levam a ações mais conscientes e produtivas.

Reflexão
1

Eu não sou os processos dos quais sou responsável.

Quando ouvimos opiniões sobre nosso trabalho e pensamos que estas opiniões nos desabonam ou diminuem podemos cair na armadilha de queremos nos defender, defender nossa “posição”. Reconhecer que a opiniões foi emitida sobre o processo ou a tarefa nos ajuda a manter um modelo mental aberto ao crescimento e à busca de novas soluções em parceria com quem nos deu o feedback.
Reflexão
2

Separe o que pode controlar do que não pode

Me sinto angustiado ou ansioso frente a situação (passadas para angustia e futuras para ansiedade) sobre as quais eventualmente não tenho controle. O que está no nosso controle? Somente nossos desejos, aspirações e as coisas que nos repelem. Isso deve ser da nossa conta e sobre isto devemos treinar interferir. O resto... são fatores externos, tentar controlá-los só tende a gerar mais ansiedade. Pergunte-se porque você dá tanto poder a “tais ou tais” posturas, tons de voz, afirmações, silêncios dos outros e o que você pode fazer agora para minimizar os impactos de suas ações ou de seus medos. O estado de espirito provocado pelo medo nos põem em estado de alerta e tendemos a diminuir nossa capacidade de respostas às necessidades do momento e nos deixar mais reativos.
Reflexão
3

Comporte-se como adulto

Ninguém pode te ferir com as palavras. Ninguém tem esse poder sobre você. Mesmo que alguém fale algo que te irrita, mesmo se te xingarem, é sua escolha enxergar o que está acontecendo como um insulto ou não. Da próxima vez que alguém parecer estar te provocando, lembre-se de que é apenas o seu (seu mesmo) julgamento do fato que gera essa sensação. Tente não reagir no momento. Afaste-se da situação. Olhe de cima, respire fundo. É só um hábito gerado por condicionamento social que é preciso substituir.
Não permita ser ferido e você não será. Isso está sob seu controle.
Reflexão
4

Escolha bem suas companhias

Uma das duas coisas vai acontecer quando se aproximar de alguém:
você vai ser influenciado ou vai influenciá-lo!
Assim, escolha seus amigos, colegas e vizinhos com muito cuidado. Isso porque todas essas pessoas têm o poder de mudar seu destino.
Uma das duas coisas vai acontecer quando se aproximar de alguém:
você vai ser influenciado ou vai influenciá-lo!
Assim, escolha seus amigos, colegas e vizinhos com muito cuidado. Isso porque todas essas pessoas têm o poder de mudar seu destino.
O mundo está cheio de pessoas talentosas e que buscam as mesmas coisas que você.

A regra de ouro é: escolha pessoas que despertem o melhor dentro de você.

Se sua companhia estiver presa num muro de lamentações sobre o que fulano fez, a empresa deveria ter feito, não deveria ter feito e te levando junto, as perguntas que você pode se fazer são: O que ela está ganhando com este comportamento? Qual o impacto positivo na minha vida tenho ao investir este tempo com esta pessoa? Está pessoa esta falando mesmo comigo ou só desabafando para se convencer de que ela não merece estar nesta situação?
Reflexão
5

Mantenha o nível das suas conversas

Não somos obrigado a sermos elevados o tempo todo... mesmo assim devemos estar conscientes que existem conversas corrosivas, proferidas por pessoas buscando “aliados “ para a justificar a própria desgraça consciente ou inconscientemente. Nossa mente já é naturalmente cheia de trivialidades... escolha companhias que te ajudem a se superar, a ampliar suas possibilidades compartilhando ideias positivas e de sucesso. Afaste-se das nocivas... e se não for possível... fique simplesmente calado ou não faça sinais de aprovação, estas pessoas tendem a buscar quem retroalimenta o sentimento que elas querem difundir.
Reflexão
6

Não busque validação dos outros

Dê seu melhor no seu trabalho. Não se preocupe se estão vendo ou não. Faça seu trabalho independentemente do reconhecimento dos outros. Este sentimento de dever comprido (a) eleva nossa autoestima, (b) aumenta nossa resiliência frente ao estresse do dia-a-dia e (c) diminui nossa reatividade frente a provocações.

Reflexão
7

Não leve as coisas para o lado pessoal

Se alguém for grosso contigo, treine se perguntar :

“Se eu fosse essa pessoa e estivesse enfrentando os mesmos problemas, nascido na mesma condição, com os mesmos pais, será que não teria me comportado da mesma forma?"

No inicio isto desta prática pode ser que você só consiga faze-lo bem depois do conflito ter acontecido e mesmo assim a reflexão te ajudará a lidar com situações futuras. Ajudará aumentar seu repertório de situações sobre as quais você pode ter controle e como reagir numa nova ocasião.




Reflexão
8

Não seja bom por causa de alguma coisa

A Bondade é o meio e o fim em si mesmo. A medida que praticamos esta Virtude somos capazes de melhor alinhar nossos pensamentos, palavras e atitudes numa direção saudável. Em algumas situações de conflito o gatilho para o confronto não vem do outro, pode ser que nos sejamos a causa deste problema.
Reflexão
9

Aprenda a substituir hábitos

O conhecimento empírico do século I  e a neurociência do século XXI diz que cada hábito é reforçado pela ação correspondente. Um exemplo do esporte pode nos ajudar a entender melhor esta afirmação. “A ação de caminhar reforça o hábito da caminhada, a corrida regular nos faz melhores corredores”. O mesmo vale quando queremos melhorar nossos hábitos. Um hábito nunca é eliminado... ele é substituído por um novo. Exercite não reagir ao seu 1º impulso, substitua-o por ir tomar um copo  d’agua, respire fundo antes de falar, anote seus sentimentos. À medida que se você se exercita, mantenha uma contagem, que espero, crescente dos dias em que não “estourou”. Com o passar do tempo, você deixará de ficar com raiva "sempre", depois "na maioria das vezes", depois "de vez em quando" até que o hábito da calma tenha ocupado o espaço.

Reflexão
10

Comprometa-se se quiser uma vida plena

Só mudamos o que faz sentido para nós agora e só mudamos o que está alinhado com nosso valores. Mudar hábitos e aumentar nossa consciência de nos mesmo da trabalho e demanda disciplina. Para dar conta deste esforço precisamos decidir querer ter uma vida plena, menos estressante, mais produtiva.

Par saber se você realmente quer esta mudança, pergunte-se se está disposto a influenciar pessoas, situações e ambientes para que estejam alinhados com suas necessidades de desenvolvimento e crescimento.

Esta jornada de auto desenvolvimento, trilhada por você e cujos os frutos você poderá compartilhar pode demandar um grande esforço então lá vai uma dica “bônus”

Dica Bônus:

Comprometa-se se quiser uma vida plena

Mantenha sempre seu bom humor. Risadas são saudáveis, principalmente quando não acontecem em detrimento de algo ou alguém.
"Ria com", mas não "ria de".

Ao longo da jornada você terá mais consciência de seus modelos mentais e de como transformar conflitos que têm custos emocionais e de imagem profissional em discordâncias produtivas.

Sucesso!

Conheça nossos Autores

.
Jean Pasteur
Jean é fundador da Tempo Zero Desenvolvimento Humano - TempoZero.net - 2009 Diretor Regional de Projetos - Instituto Antakarana para o desenvolvimento da consciência em ambientes formais e informais. Professor da Pós Graduação em Educação Lúdica - ISE Vera Cruz.
Jean PasteurMentor em Inteligência Emocional e Performance de Liderança e Equipes
Imprimir